Miranda Brasil
Image default
noticias

7 sinais de um relacionamento abusivo e como lidar com isso

Relacionamentos podem ser fontes de amor, apoio e crescimento pessoal, mas também podem se tornar armadilhas de abuso emocional, psicológico ou físico. 

 

Neste artigo, exploraremos 7 sinais reveladores de um relacionamento abusivo, que te ajudarão a identificá-los, bem como a fornecer orientações valiosas sobre como lidar com essa situação. 

 

Seja qual for a tua situação, todos merecem um relacionamento saudável e respeitoso, e a psicoterapia de casal pode ser uma ferramenta fundamental nessa busca pelo equilíbrio.

Assumir o controle o tempo todo

 

Uma simples frase pode conter a artimanha que o manipulador emprega, e isto é apenas o início. 

 

A pessoa deseja exercer controle sobre a outra e começa a ditar o que o parceiro pode ou não pode fazer. As escolhas relativas a roupas e atividades frequentemente caem sob o domínio do manipulador, tudo isso oculto sob o pretexto de “eu sei o que é melhor para ti”.

 

A privacidade também é violada em nome do amor. Quem nunca ouviu a expressão “quem ama não esconde”? 

 

No entanto, a realidade é mais complexa do que isso. O agressor aproveita essas situações para tentar controlar cada aspecto da vida do parceiro. 

 

Mensagens de celular, redes sociais e emails são frequentemente monitorados, de forma sutil ou não. 

 

Portanto, é importante estar atento a esses exemplos para reconhecer um relacionamento abusivo.

 

O teu parceiro só se preocupa consigo mesmo

 

Quando fala dos teus problemas, a pessoa acaba sempre trazendo a conversa de volta para si mesma?

 

Ajudar é diferente de assumir o problema para si. Em qualquer relacionamento, é natural ajudar o parceiro, mas há limites. 

 

É crucial compreender que alguns problemas são demasiado complexos, e nem sempre é responsabilidade tua resolvê-los.

 

Além disso, não esqueça a importância da reciprocidade e da gratidão. Num relacionamento saudável, é comum desabafarmos um pouco sobre o trabalho, estudos ou outros desafios do dia a dia. 

 

A vida não é fácil para ninguém, e é normal partilharmos os nossos problemas com o parceiro, desde que ele também te permita fazer o mesmo e te apoie como puder.

 

Se ajuda um pouco mais o teu parceiro, não há problema, desde que ele valorize isso como um gesto voluntário da tua parte, e não como uma obrigação.

 

Se a pessoa com quem está não te ouve, não te apoia, e não te ajuda a melhorar, como é que isso pode ser bom para ti? Se toda a carga emocional está sobre os ombros de apenas um de vocês, como é que isso pode ser benéfico para a relação?

 

Agressão e violência

 

O agressor ataca o parceiro e, em seguida, alega que estava fora de controle. Promete que nunca mais repetirá tal comportamento. Faz juras de amor e não consegue imaginar a vida sem o outro.

 

Infelizmente, esse cenário é mais comum do que se imagina e é emblemático de um relacionamento abusivo. O agressor não estava fora de controle; houve agressão, na verdade, várias agressões, que se repetem ciclicamente.

 

Os arrependimentos e promessas são manipulações para manter o relacionamento. Violência é violência. É perigoso manter uma relação com alguém que agride o parceiro, seja psicologicamente ou fisicamente. 

 

É fundamental compreender esses aspectos para identificar e sair de uma relação tóxica.

 

Agressão verbal e violência psicológica

 

O relacionamento abusivo é uma montanha-russa emocional. Às vezes, o agressor é gentil, encantador, um apaixonado devoto. Essa faceta positiva torna o jogo emocional ainda mais complexo. 

 

Afinal, quando a humilhação provém de alguém que ama profundamente, parece ter uma justificação.

 

No entanto, contrapondo-se aos elogios, aos poucos, as críticas degradantes ganham espaço. Proferidas por alguém tão próximo, elas abalam e fragilizam a identidade de quem as ouve.

 

Sim, as agressões e a violência emocional num relacionamento abusivo podem assumir a forma de insultos. No entanto, nem sempre são tão evidentes. Comentários subtis são ainda mais poderosos, pois minam as defesas e distorcem a percepção objetiva.

 

Abuso sexual

 

Além do estupro, o abuso sexual inclui toques não desejados e outras atividades sexuais não consensuais. Mesmo entre casais, o abuso sexual pode ocorrer, embora muitas vezes seja ignorado pelas pessoas.

 

O facto de estar numa relação, seja namoro ou casamento, não implica automaticamente consentimento para todas as atividades sexuais. O desejo de ambos deve ser considerado no momento do sexo.

 

Jogos emocionais

 

A chantagem emocional é um outro indicativo de um relacionamento abusivo. O parceiro abusivo atribui a culpa ao outro, levando a pessoa a sentir-se mal consigo mesma e a reconhecer erros, mesmo que não os tenha cometido.

 

Os jogos emocionais são usados para demonstrar o desequilíbrio de poder na relação. Isso pode incluir privações, como recusa de sexo e intimidade, ou até mesmo afastamento e silêncio para forçar o outro a cumprir os desejos do manipulador. 

 

Fica atento a esses sinais para identificar um relacionamento abusivo.

 

“Amor” demais

 

Pode parecer contraditório, mas é algo comum em relatos de relacionamentos abusivos. O abusador segue um padrão comportamental específico, destacando-se pela sua capacidade de sedução.

 

O abusador pode ser extremamente romântico, gentil e intensamente apaixonado. Ele constrói um pedestal impressionante para a vítima, aumentando a sua autoestima de maneira singular.

 

Manifestações de afeto exageradas, “provas de amor” e declarações grandiosas são bonitas, todos concordamos. No entanto, é importante distinguir entre gestos espontâneos e distrações calculadas.

 

Cuidado para não confundir migalhas com banquetes. No início da relação, pode ser difícil discernir entre um gesto romântico e um sinal de alerta. No entanto, quando esses episódios ocorrem num relacionamento estabelecido, é necessário refletir.

 

Quando deve perceber que o “excesso” é um aviso? Quando os dias que antecedem o “momento especial” são marcados por brigas, humilhações, cobranças ou ciúmes.

 

Se o romantismo surge para encobrir problemas, fica atento! Não é amor quando apenas um dia por semana ou por mês traz paz. Não é amor quando uma surpresa é usada para abafar um conflito que precisa ser resolvido.

 

Presentes, favores e elogios não são demonstrações de amor. São as ações concretas do dia a dia que revelam o verdadeiro valor de uma relação.

 

Não te deixe distrair pelo que o abusador quer que veja. Observa as ações. Promessas são fáceis de fazer quando não precisam ser cumpridas. 

 

Portanto, avalie o presente. A qualidade de uma relação não deve ser medida pelos momentos excepcionais, mas sim pela rotina concreta.

 

Como sair de um relacionamento abusivo?

 

Sair de um relacionamento abusivo é extremamente desafiante. O abusador tem o poder de envolver emocionalmente a vítima e deixá-la paralisada pelo medo e pela dependência emocional.

 

No entanto, existem questões emocionais que afetam tanto a vítima quanto o próprio abusador. Se identificar os sinais mencionados, a melhor forma de lidar com essas questões e desenvolver mecanismos para enfrentar o problema é procurar terapia.

 

Conversar com um psicólogo online pode ajudar a identificar os seus gatilhos emocionais, restaurar a autoestima e recuperar o que o relacionamento te retirou. 

 

A terapia é o caminho certo para te sentir bem novamente e libertar-se do peso de estar numa relação tóxica.

Leia também:

Related posts

Entenda as mudanças recentes no auxílio-reclusão e seus impactos

silvia

SPA em SP: conheça as 10 melhores opções da capital paulista

Gilson Rodrigues

Como conectar impressora Epson no wifi: guia passo a passo

Gilson Rodrigues