Miranda Brasil
Image default
saúde

Visitas ou vídeo chamadas? Como serão as consultas pós-pandemia

A pandemia gerou mudanças e uma série de inovações relevantes na área da saúde. Desde então, o mudou enfrentou grandes mudanças e com o setor da saúde não poderia ser diferente.

Foi preciso reinventar a forma como os atendimentos são feitos. E, com isso, a telemedicina que, até então possuía pouca participação a princípio, tornou-se uma das peças cruciais para conectar os pacientes com profissionais da saúde

Continue lendo este conteúdo para entender como serão as consultas no pós-pandemia.

Leia também:

A telemedicina como peça essencial da saúde no pós-pandemia

pós-pandemia

Diante de tantas mudanças e inovações, surgiram novas formas de promover a saúde. Algumas dessas formas funcionaram tão bem que passaram a fazer parte da rotina de instituições de saúde, sendo crucial mesmo para questões além da pandemia.

Antes do novo coronavírus, havia muitos empecilhos e questões que impediam que a telemedicina se tornasse uma prática comum na rotina dos setores de saúde. Essas questões abrangiam desde assuntos legais quanto o receio tanto de pacientes quanto profissionais de fazer consultas on-line.

A crise sanitária, no entanto, fez com que todas essas questões fossem deixadas de lado por um momento para que a telemedicina fosse viável. Sendo assim, as questões legais tornaram as leis mais flexíveis

Enquanto os médicos e pacientes acabaram por descobrir que as consultas on-line são vantajosas para ambos os lados. Já que os pacientes agora podem fazer uma consulta e receber o atendimento adequado sem ter que sair de casa.

Então, a telemedicina tornou-se uma parte essencial da saúde, não só do futuro, como também do presente. Desde as primeiras consultas até as modalidades híbridas, incluir a telemedicina na rotina é essencial para atender às necessidades dos usuários.

Consultas na pós-pandemia

Muitas pessoas que nunca tiveram de fazer uma teleconsulta antes passaram a conhecer essa modalidade após a pandemia. Não demorou para que ganhasse milhares de adeptos, ainda mais por ser bem prático e ágil.

O que se pode observar é que essas consultas on-line ainda serão usadas por meio tempo e com potencial de expansão. Ainda mais em casos onde não é preciso fazer um exame físico ou quaisquer outros procedimentos presenciais.

Nesse caso enquadra-se as consultas em relação aos cuidados mais básicos, por exemplo:

  • Acompanhamentos de condições crônicas;
  • Resfriados;
  • Problemas de pele mais simples;
  • Entre outros.

Além disso, a psiquiatria também tornou-se uma especialidade com grande aceitação e sucesso nas consultas à distância. Contudo, a telemedicina e consultas on-line não se restringem apenas à esses casos em específico.

Há muitos casos híbridos, que acontecem quando essas consultas on-line se intercalam com as presenciais. O paciente então poderá fazer uma consulta remota, mas sem deixar de receber os cuidados necessários em uma consulta presencial.

Essas tais consultas híbridas ainda fornecem outros benefícios aos pacientes e médicos, tais como:

  • Maiores chances do paciente não abandonar o tratamento;
  • Fica mais fácil gerenciar e monitorar os casos por parte dos profissionais;
  • Facilitar manter todos os dados e exames organizados em apenas um local;
  • Organizar os dados e exames radiológicos em um só local;
  • Deixa as consultas on-line ou segundas opiniões disponíveis para outros profissionais;
  • Reduz o tempo de diagnóstico ao integrar informações e prontuários.

Como será a telemedicina no pós-pandemia?

pós-pandemia

As empresas de telemedicina foram responsáveis por atender mais de 60% dos pacientes em centros de saúde comunitários de Nova York, durante o ápice da crise do novo coronavírus, em 2020, segundo um estudo feito por pesquisadores da Escola de Saúde Pública Global da NYU.

Apesar de as consultas de vídeo terem os seus benefícios, as consultas por telefone foram as maiores responsáveis por maior atendimento e cuidados com os pacientes. Isso significa que esse tipo de atendimento é vital para oferecer acesso e abordar o tema da exclusão digital.

Conforme aborda o estudo publicado no Journal of the American Board of Family Medicine, os atendimentos por telefone e vídeo irão crescer cada vez mais e ajudarão a moldar como os cuidados da saúde são oferecidos pós-pandemia.

Ji Eun Chang, professor assistente de políticas e gestão de saúde pública na Escola de Saúde Pública Global da NYU e o líder autor do estudo, junto com alguns colegas, acompanharam o uso de vídeos, telefone e visitas pessoais em 36 centros de saúde comunitários de Nova York, entre fevereiro a novembro de 2020.

Consultas on-line ou por telefone?

O que perceberam é que as consultas on-line aumentaram de forma significativa, especialmente na primeira onda da pandemia. Aos poucos, as consultas foram diminuindo no início de agosto, com cerca de 30% das consultas.

Enquanto isso, as consultas por telefone tiveram um maior índice de atendimento da telemedicina. As consultas por vídeo são uma ótima opção para atender os pacientes faça a face, o que é importante para obter dados clínicos úteis, além de ser mais fácil estabelecer uma relação com os pacientes e melhorar a comunicação.

Mas, embora as consultas por vídeo sejam muito eficientes, elas ainda podem ser um divisor digital, entre os pacientes que não têm tanto acesso à tecnologia. Em especial àqueles com conexão Wi-Fi ruim ou sem muitos dispositivos com recursos de vídeos.

Já as consultas por telefone são mais viáveis à essa população, além de fornecer mais privacidade e facilidade. As pessoas que participaram desse estudo também relataram que a telemedicina ainda possui certas limitações.

Como a dificuldade em fazer exames físicos, incapacidade de vacinar, entre outros cuidados. Porém, mesmo com todos esses desafios e problemas, quem consultou on-line obteve uma ótima experiência, seja através de vídeo ou telefone.

Acredita-se que essa modalidade é crucial para permitir que as pessoas tenham maior acesso e cuidados de saúde. O setor cresceu durante a pandemia, mas a estimativa é que continue a se expandir mesmo depois.

Conclusão

pós-pandemia

Em suma, como você pôde ver neste conteúdo, as consultas virtuais tornaram-se uma grande realidade para facilitar o atendimento aos pacientes. Mesmo no pós-pandemia, a estimativa é que essa modalidade cresça cada vez mais e passe por novas mudanças.

Por fim, o que você achou do assunto? Ficou com alguma dúvida? Não esqueça de deixar seu comentário e compartilhar com os amigos!

Leia também:

Related posts

Entenda como o câncer de próstata pode afetar toda a sua saúde

MirandaBrasil

Ambulância no seu evento? Saiba mais

MirandaBrasil

O que fazer quando está infartando?

MirandaBrasil

Deixe um Comentário